04/01/2010

O Fato do menino


ILIDIO SALTEIRO
O Fato do Menino ou Portugal, 2002.
Óleo sobre tela, 200 cm x 150 cm


A aparente dissemelhança entre os quatro trabalhos expostos nesta exposição colectiva, tendo a emoção e a forma a separa-los, têm, no entanto, o pensamento e a razão a uni-los.
O fato do menino e Portugal são apenas duas referências possíveis. A obra que lhe serviu de suporte conceptual é um retrato de Don Manuel Osório Manrique de Zuniga, filho do Conde de Altamira, pintado por Francisco Goya. Os seres vivos representados, para além da criança, são três gatos que olham atentamente para uma pega (símbolo cristão da alma) que o menino segura por uma corda e canários dentro de uma gaiola (símbolo de inocência). A alma, a inocência e os medos rodeiam D. Manuel, representado como um menino Jesus vestido pela luz vermelha do seu fato.
Que feitos terá feito esta criança para ser merecedora de tal distinção? Sozinha naquele espaço, dominadora sobre todas as espécies, apenas o fato vermelho se sobrepõe em importância.Na actual pintura nenhuma desta simbólica permaneceu. Resta a forma de um fato, resta a luz, sobressaem elementos de uma outra natureza simultaneamente outonal e verdejante. E restam ainda, ironicamente, as inocentes fragilidades dos poderes instituídos e ancestrais.